Aldeia Indigena
Casa da Cultura
Dados Gerais
Festas e Eventos
Forte São João
História Bertioga
Itatinga
Praias
Rios, Ilha e Canais
Sesc
Trilhas/Ecoturismo
Associação Amigos
Fundação 10 de Agosto
História
ISO - Política Ambiental
Lazer
Projeto
Reciclagem
Shopping
SIV
Viveiro
Dados do Município
História SB
Praias SB
Cuidados nas Trilhas
Dengue
Economia de Energia
Escunas
Feng Shui
Gastronomia
Hospedagem
Obras
Ostras
Paisagismo
Parque Estadual
Pesca
Piscina
Raios
Segurança
Verão e Sol
 
 
 
 
 
Bertioga »  História Bertioga
 
BERTIOGA DE ANTIGAMENTE
Batelão no início do século XX


Fonte: http://www.novomilenio.inf.br/bertioga/

Nos primeiros anos do século XX, a ligação entre os lugarejos do Litoral Norte de São Paulo (onde viviam isoladas várias comunidades de pescadores), e destes com Santos e São Vicente, era feita em batelões a remo, usado na navegação costeira e pelos rios litorâneos.

Atracadouro junto ao forte, em 1983

Quando Bertioga era apenas um distrito de Santos, uma comunidade de caiçaras pescadores quase isolada da própria sede do município santista, o acesso era feito por barcos que atravessavam o Canal de Bertioga desde Santos ou por um ferry-boat mantido pelo Departamento de Estradas de Rodagem, que ligava o vilarejo ao acesso rodoviário via Guarujá.

Balsa para o Guarujá, 1979

Em 1979, quando Antônio Manoel de Carvalho fazia o balanço de término de sua gestão à frente da Prefeitura Santista, o então subdistrito de Bertioga contava essencialmente com apenas um serviço de Guarujá) à sede.

Barco junto ao Forte São João, 1979

Em 1979, quando Antônio Manoel de Carvalho fazia o balanço de término de sua gestão à frente da Prefeitura Santista, o então subdistrito de Bertioga ainda não havia iniciado a sua arrancada para o desenvolvimento como receptor do turismo em massa, e as praias, mesmo na área central, junto ao Forte de São João, ainda estavam em sua forma original, sem urbanização.

Avenida Anchieta, recém-concluída em 1979

Em 1979, quando Antônio Manoel de Carvalho fazia o balanço de término de sua gestão à frente da Prefeitura Santista, tinha sido entregue pavimentada a avenida Anchieta, que, segundo seu relatório, objetivava "retirar a circulação de veículos junto à praia. Seu traçado é resultado dessa preocupação. Em alguns trechos ela se aproxima do mar e em outros se afasta, criando diversas alternativas de perspectivas. O primeiro trecho executado, que vai do Ferry-Boat ao Morro das Senhorinhas, com 1 km de extensão, recebeu obras de drenagem e pavimentação. No segundo trecho foram efetuados serviços de locação e desmatamento com 4,3 km de extensão (vai do Morro das Senhorinhas até a Colônia de Férias Ruy Fonseca do SESC)".

Pronto Socorro Distrital, em 1979

Em 1979, quando Antônio Manoel de Carvalho fazia o balanço de término de sua gestão à frente da Prefeitura Santista, começava a crescer o afluxo de turistas às praias do subdistrito de Bertioga, com o conseqüente aumento na demanda por serviços ambulatoriais.
Em seu relatório, o prefeito explicava: "Dois fatores contribuíram decisivamente para a execução do Pronto-Socorro de Bertioga, no período de setembro de 1975 a janeiro de 1977: a precariedade das instalações existentes e o aumento da população turística, com a previsão de inauguração da BR-101 (Rodovia Rio-Santos) ainda no primeiro semestre e da Rodovia Mogi-Bertioga, em 1979. Orientações a nível federal alterando a política de transportes modificaram o cronograma de construção da Rio-Santos quando o Pronto Socorro já se constituía em realidade.
"Dimensionado para atendimento dessa clientela turística, inclusive dotado de centro de pequena cirurgia e heliponto, devido à inexistência de hospital geral na área, o Pronto Socorro de Bertioga compreende, juntamente com o PAI - Posto de Assistência à Infância, um edifício de 1.100 m², inserido em próprio municipal com 13.270 m² na Vila Itapanhaú. A obra custou ao Município Cr$ 4.580.000,00, tendo sido construída com recursos próprios municipais através do Fundo Para o Progresso de Santos".

Vista aérea, cerca de 1985

Ainda um lugar relativamente tranqüilo, mas já fermentando as idéias autonomistas que resultariam na criação da cidade poucos anos depois, Bertioga era registrada assim pelas lentes do fotógrafo Carlos Marques, para o jornal santista A Tribuna, em vista aérea tomada por volta de 1985 (com os atracadouros para a balsa de ligação com Guarujá, perto do forte).

Canal e fortaleza, início do século XX

Nos primeiros anos do século XX, o chamado Rio da Bertioga, na verdade um canal de navegação entre o continente e a ilha de Santo Amaro, era habitado apenas por alguns pescadores e extratores de lenha.

Canal da Bertioga, 1924

Um barco no trapiche, uma canoa na margem... Assim era em 1924 a área do Canal da Bertioga, perto do forte de São João.

As barcas da Santense

Durante várias décadas do século XX, a ligação entre a sede do município de Santos e seu então distrito de Bertioga foi mantida pelas barcas da Santense.
Na sua Poliantéia Santista, Fernando Martins Lichti mostra a foto da velha ponte de atracação das barcas da Cia. Santense de Navegação, em 1945, quando foram coolocadas em serviço as novas lanchas. O trapiche de madeira foi depois substituído por um píer de concreto armado, na gestão do prefeito-interventor santista Clóvis Bandeira Brasil (28/4/1969 a 14/7/1974), e a restinga que margeava o canal deu lugar a um cais ajardinado.
 
     
 
     
 
     
 
         
 
 
 
  Saiba um pouco mais do potencial de Bertioga, Riviera e São Sebastião.   Telefones úteis de Bertioga, Riviera e São Sebastião.   Conheça as praias de Bertioga e São Sebastião. .   Dicas de passeios e festas da região.  
         
 
Riviera Administradora Patrimonial Ltda. | E-mail guia@guiadariviera.com.br
Crédito das fotos:
Dú Zuppani, Pedro Resende, Renata de Brito, Jair Favero, Luis Nelson, Francisco Simões, Willi Kruise e fotos de arquivo.